quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

O MESSIAS, de Rocha de Sousa.




"José viajava no tempo, para trás e para a frente, e gostava de ouvir os velhos a contar histórias. Eram histórias que relatavam questões sobre a vida das pessoas, por vezes das famílias ou comunidades em redor. Mas nada do que ia escutando, envolvendo sempre doenças, penúria e conflitos, se assemelhava à realidade das aldeias discretas, pacíficas, perto das montanhas e dos grandes conventos a que acedera após quase um ano de longas marchas a pé, com os peregrinos, e durante certos períodos alcandorado no dorso dos animais em caravanas partilhadas."

Autor - Rocha de Sousa
Livro - O MESSIAS
Capa - Rocha de Sousa


quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

domingo, 6 de janeiro de 2019

À memória de FERNÃO DE MAGALHÃES GONÇALVES







O MURO


Continuo sentada
junto ao muro. . .
espero que chegues,
preciso de conversar contigo,
contar
a amargura dos dias
deste lado
do muro.


Contemplo o caminho percorrido.


Deste lado
do muro
não há Sol,
perfume,
alegria,
risos.
Os canários deixaram de cantar,
a Lua extinguiu o resplandecer,
o mel não tem sabor,
já não sei como se faz amor,
esqueci o paladar dos teus beijos,
falta tudo o que enchia o nosso mundo.


Vénus
perdeu o brilho!
Afrodite
fechou-se na concha,
enrolada em espuma do mar.


Ísis alada
enxuga lágrimas
protege pescadores,
recolhendo
redes cheias de algas e de rosas
perfumadas.


Poema de Manuela Morais
Livro - Depois do AMOR, págs.15/16









segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

sábado, 22 de dezembro de 2018

O MESSIAS, de Rocha de Sousa




Autor - Rocha de Sousa
Título - O MESSIAS
Capa - Rocha de Sousa



segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Depois do AMOR







Autora - Manuela Morais
Título - Depois do AMOR (Poesia)
Prefácio - Ana Paula Fortuna
Badana - Pedro Teixeira da Mota
Contracapa - Cláudio Lima
Desenho da Capa - Emerenciano

                                           *****





domingo, 16 de dezembro de 2018

Depois do AMOR







Manuela Morais surpreende-nos com um livrinho em que o verso fluído e livre nos conduz a uma experiência amorosa vivida nos limites da dádiva e da partilha. Amou dois homens, dois grandes artistas. Em momentos temporais diferentes mas com a mesma inteira e apaixonada entrega: o poeta e escritor Fernão de Magalhães Gonçalves e o escultor e pintor José Manuel Espiga Pinto. De ambos foi abnegada companheira, cúmplice, confidente; ambos partiram deixando-lhe o coração despedaçado: o Fernão a 8-6-1988 e o Espiga a 1-10-2014.
Os 21 poemas de Depois do AMOR, reflectem essa dupla dolorosa provação. Saudemo-los. Porque muito amou, Manuela Morais muito sofreu. Mas soube sublimar o sofrimento e a saudade através da poesia - esta que lhe brotou límpida e sentida, Depois do AMOR. Depois que. . .

"Os canários deixaram de cantar,
a Lua extinguiu o resplandecer,
o mel não tem sabor,
já não sei como se faz amor,
esqueci o paladar dos teus beijos,
falta tudo o que enchia o nosso mundo."

Cláudio Lima


domingo, 9 de dezembro de 2018

Depois do AMOR





                                                                                       PREFÁCIO


                                                                                
                                                                                                              Ana Paula Fortuna



       O amor é o sentimento mais belo que o ser humano pode experimentar, contudo defini-lo nunca é fácil. Há séculos que os poetas e os filósofos, para não referir os pintores e os escultores, se dedicam à sua definição, sem encontrar uma aceção que abranja a dimensão desse sentimento poderoso.
Atente-se no dilema de Camões num dos seus sonetos mais conhecidos que serve para ilustrar quão difícil pode ser caracterizar esse afeto, nas suas múltiplas contradições:

Amor é um fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói, e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

       Fernando Pessoa deixa patente num dos seus poemas a dificuldade que o ser humano tem em falar de amor.
(. . .)
       A explicação desta mudez provocada por este sentimento tão forte está nas palavras de Leonardo Da Vinci "As mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar."
       O amor está ao alcance de todos, mas não cabe em qualquer coração, pois nem todos são merecedores de o guardar. Este só tem lugar em almas sensíveis, capazes de o acalentar e alimentar num crescendo de afeto, de paixão e de cumplicidade.
       Manuela Morais já nos revelou, no livro Cântico ao AMOR, a sua sabedoria no tocante a este sentimento e transpô-lo nesse conjunto de poemas, desnudando a sua alma perante o leitor.
       E Depois do Amor?
       Depois do amor (. . .)









segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Depois do AMOR





                                                                              Texto de
                                                                Pedro Teixeira da Mota


Estes poemas belos e profundos da Manuela Morais testemunham a sua travessia dos píncaros e abismos do amor e da dor, que constituem em grande medida a vida humana regida por ciclos e marés e que nos cabe atravessar com amor e estoicismo, simplicidade e criatividade, consciência e esperança.
Os sentimentos mais humanos perpassam sentidamente por estas páginas, vividos em estado sofridos nas paisagens e ambientes iluminados pelo olhar amoroso e pela sensibilidade da Unidade que os Seres que amam desfrutam e aprofundam.
Não foi em vão que a Manuela partilhou anos de Vida com duas almas cultoras da beleza e da arte e que no amor souberam realizar epifânias perenes e substanciais e que nos comovem, nos encantam, nos impulsionam a sabermos perseverar na tradição tão portuguesa dos Fiéis do Amor.
Todos temos de deixar partir almas queridas até por fim sermos nós também a sairmos desta margem do grande rio da Vida Cósmica e a entramos pelas dimensões insuspeitadas que os Seres que se amam, na contemplação das estrelas e do olhar, por vezes intuem e comungam.
Não foi pois em vão que a Manuela foi bordando na tessitura da sua alma as Palavras ardentes da Poesia e do Amor e que certamente a fazem hoje viver com esperança e um dia em certeza, na comunhão perene dos Seres que se amam.
Possa então o Amor Divino arder e irradiar mais em nós, face a um mundo ainda tão dilacerado pelo egoísmo e o imperialismo, e que tanto necessita da poesia e do amor que as almas poéticas, sacerdotisas e amantes desabrocham em litanias e ais, bordados no coração e nos livros, irradiados nos gestos e modos de vida que harmonizam a Terra e nos inspiram no culto Fiel do Amor e do Bem…

Texto de Pedro Teixeira da Mota
Livro - Depois do AMOR
Manuela Morais





sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Pensamento






"Os que sonham de dia são conscientes de muitas coisas que escapam aqueles que sonham apenas à noite."

Edgar Allan Poe


quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Depois do AMOR







ENTREGA




Tua Mãe
deixou-te ao meu cuidado,
dizendo que partia
tranquila
porque sabia seres amado.


É verdade,
amei apaixonadamente,
senti amor intenso
a teu lado.


Entregamo-nos
totalmente
um ao outro
e ao nosso labor.


A grandeza crescente da tua Obra
é ouro da maior pureza.


Tua Alma luminosa como o Sol,
pura como diamante,
límpida como cristal,
fabulosamente radiante,
brilha,
ilumina,
entre o Céu e a Terra
faz ligação divina.




Manuela Morais
Livro - Depois do AMOR
Desenho da Capa - Emerenciano
Prefácio - Ana Paula Fortuna
Texto da Badana - Pedro Teixeira da Mota
Texto da contracapa - Cláudio Lima



sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Pensamento






"A dignidade pessoal e a honra não podem ser protegidas por outros. Devem ser zeladas pelo indivíduo em particular."

Mahatma Gandhi


quarta-feira, 14 de novembro de 2018

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Depois do AMOR







BORDEI O TEU NOME


Bordei
a fio de ouro
teu nome
no meu coração.


Caminho na noite. . .
na escuridão,
as estrelas não brilham,
tudo é desilusão.
Lágrimas,
vazio atormentado,
saudade,
dor,
perder o elo sagrado,
o coração
dilacerado.


Depois do AMOR
Manuela Morais



sábado, 10 de novembro de 2018

terça-feira, 6 de novembro de 2018

sábado, 3 de novembro de 2018

Pensamento





"Todo o nosso saber começa nos sentimentos."

Leonardo da Vinci


sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Depois do AMOR







ESCURIDÃO


Ingresso
incessantemente no turbilhão
pessoal de conflito interior
de te perder
e não poder ultrapassar a dor.
Mergulhada
na realidade
trágica,
comovedora,
aflitiva.


Anestesiada. . .
poderosos fármacos
adormecem-me
o corpo enrolado no lençol,
perco a noção das horas,
dos dias. . .


Só existe
escuridão,
sensação irrecuperável de esperança,
desânimo,
desespero de ver o barco partir
e eu inconsolável
do outro lado
do rio.


Livro - Depois do AMOR



segunda-feira, 29 de outubro de 2018

sábado, 27 de outubro de 2018

Revista NOVA ÁGUIA


Apresentação
da Revista

NOVA ÁGUIA

hoje, sábado, dia 27, 15 horas,
Palacete Viscondes Balsemão
Porto